Terça, 26 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
POLÍCIA | MATO GROSSO
20/05/2021 - 10:49
Operação da PF contra o tráfico apreende vários maços de dinheiro em MT
Entre os mandados expedidos, 7 são de prisão preventiva e 21 de busca e apreensão.
O Âncora MT

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (20) a Operação “Hot Money” contra uma organização criminosa responsável por tráfico de drogas interestadual na região conhecida como Vale do Araguaia. Vários maços de dinheiro foram apreendidos com os alvos da operação.

Os policiais federais devem cumprir 28 mandados judiciais expedidos pela Vara Criminal de Aragarças (GO) nas cidades mato-grossenses de Barra do Garças, Cuiabá, Querência, Porto Esperidião e Pontes e Lacerda, também nas cidades de Aragarças e Jussara em Goiás.

Entre os mandados expedidos, 7 são de prisão preventiva e 21 de busca e apreensão.

A Justiça determinou também o sequestro na conta bancária de 11 pessoas, além de veículos, em razão da alta movimentação de valores em espécie realizada pelos investigados.

O valor total de bens sequestrados e dinheiro em espécie aprendido com o propósito de descapitalizar a organização está sendo apurado com a deflagração da operação.

As investigações tiveram início em janeiro de 2021 quando a Polícia Federal, identificou a similaridade de atuação de pequenos traficantes de drogas que atuavam na região do Vale do Araguaia.

Foi possível identificar uma das lideranças do tráfico na região, que recebia grandes quantidades de droga e distribuía para os traficantes locais.

Além das prisões cautelares realizadas, durante o cumprimento dos mandados judiciais, 03 pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, bem como uma grande quantidade de valores em espécie apreendida em diversos locais de cumprimento de busca e apreensão.

"Hot Money" - deve-se ao fato de que todos os investigados têm no tráfico de drogas o seu modo de vida. Nesse sentido, “esquentam o dinheiro” através do exercício da mercancia de drogas ilícitas. Consequentemente, esse “dinheiro quente” em espécie é a única “fonte de renda” da maioria dos investigados.

G1 MT

             
    PUBLICIDADE