Domingo, 17 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
POLÍCIA | GOIÂNIA GO
22/10/2020 - 16:00
Homem é condenado a 26 anos de prisão por estuprar e assassinar gari
Réu não participou do julgamento.
O Âncora GO
Funcionária da Comurg Ilma Gonçalves Ferreira, morta em Goiânia-GO. / Foto: Reprodução TV Anhanguera

Os jurados condenaram nesta quinta-feira (22) Péricles Teodoro da Silva pelo estupro e morte da gari da Companhia de Urbanização de Goiânia-GO (Comurg), Ilma Gonçalves Ferreira, de 60 anos. De acordo com o processo, o crime aconteceu após a vítima frustrar os planos de roubo do réu, que na época cumpria pena no regime semiaberto.

O G1 entrou em contato por email às 13h20 com o Ministério Público e com a Defensoria Pública para saber se eles vão apresentar algum recurso e aguarda retorno.

O réu não participou do julgamento. Apenas a filha da vítima foi ouvida como testemunha. Durante o julgamento, o Ministério Público pediu a condenação pelos dois crimes. Já a defesa pediu a desqualificação do crime de estupro para vilipêndio de cadáver e redução da pena, alegando que o réu não era totalmente capaz de responde pelos seus atos.

Porém, os jurados não aceitaram os argumentos da defesa. “Nós tivemos o reconhecimento por parte dos jurados do homicídio e do estupro. Consequentemente ele foi apenado a 18 anos pelo homicídio e a 8 pelo crime de estupro. Essas penas são somadas, totalizando 26 anos em regime fechado”, disse o juiz Jesseir Coelho de Alcântara. Ele vai aguardar o recurso preso.


CRIME

Ilma foi morta no dia 17 de dezembro de 2018 no Parque Anhanguera. As investigações apontaram que Péricles estava na região procurando um carro para roubar, quando viu um motorista descendo do veículo para checar os pneus e deixando a chave na ignição.

Nesse momento, Ilma estava passando pelo local, percebeu que Péricles usava tornozeleira eletrônica e alertou o motorista para tomar cuidado e que poderia ser vítima de um roubo. Segundo a denúncia, como não conseguiu cometer o crime, o réu seguiu a funcionária da Comurg, a rendeu e a levou para uma área de mata. No local, ele a estuprou e, usando um pedaço de pau, deu vários golpes contra a cabeça dela.

Após ser preso, o acusado confessou o crime de homicídio, mas negou que tenha violentado a vítima.


Fonte: G1 GO

             
    PUBLICIDADE