Sexta, 22 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
POLÍCIA | ANÁPOLIS GO
10/11/2020 - 17:21
Diarista se sente humilhada após cerimonialista dizer que cuspiria em sua cara: "Fiquei desnorteada"
Ofensas foram feitas em um aplicativo de mensagem após ela avisá-lo que não poderia limpar a casa dele. Caso foi registrado na polícia.
O Âncora GO
Diarista Maria José de Souza Marques foi ofendida em áudio. / Foto: Reprodução TV Anhanguera

A diarista Maria José de Souza Marques, de 54 anos, conta que se sentiu humilhada ao receber um áudio de um cerimonialista dizendo que cuspiria na cara dela após ela avisá-lo que não poderia trabalhar para ele na ocasião. O caso foi registrado na Polícia Civil de Anápolis-GO, a 55 km de Goiânia-GO.

"Nunca fui humilhada nessa vida. Fiquei desnorteada com o áudio da resposta que ele deu. Foram ofensas demais", disse.

O caso aconteceu na sexta-feira (6). Autor dos áudios, o cerimonialista Valeriano Pinto Coelho Filho, de 59 anos, disse ao G1 que enviou a mensagem de indignação após ela descumprir o acordo de não limpar a casa dele naquele dia e que tinham uma realização de amizade com a diarista.

OFENÇAS 

Maria José trabalha em uma lanchonete e também atende como diarista em outros horários. Ela tinha combinado de fazer uma faxina na casa do cerimonialista, mas disse que precisou cancelar porque foi chamada para preparar um prato na lanchonete.

Ao avisar Valeriano Filho que não poderia atendê-lo, se iniciou a série de ofensas à diarista. Veja a conversa abaixo:

Áudio enviado por Maria José: "Valeriano, não vou poder ir. O homem me ligou agora. Estava me arrumando para ir para sua casa. O mocotó acabou, e eu tenho que descer para fazer. Infelizmente, não vou poder ir, me desculpa aí. Tenta arrumar outra pessoa, tá bom?".

Áudio enviado por Valeriano Filho: "Com certeza vou arrumar outra pessoa. Pessoa digna de frequentar minha casa e limpar as minhas sujeiras. Você não é digna de limpar nada. Para mim, você não passa de um lixo. No dia que eu te ajudei com aqueles tijolos, foi por causa do (nome de homem). Dá vontade de ir aí e quebrar tijolo por tijolo na sua cabeça. Vai fazer mocotó que é comida de pobre. Isso que você sabe fazer. Tenho ódio de me misturar com gentalha como você. No dia que eu te ver na rua, vou cuspir nessa cara horrorosa sua. Não cruza meu caminho. Se você não tem hombridade de honrar seus compromissos, eu tenho".

O cerimonialista argumentou que conhece a diarista há 15 anos e que a ajudou em inúmeras ocasiões. "Posso ter pego pesado no áudio mesmo porque estava muito irado. Mas todas as vezes que ela batia na minha porta, a ajudava. Não é a primeira vez que brigamos por causa do não cumprimento da parte dela para comigo", disse Valeriano Filho.

"Em um momento de nervoso eu mandei uma mensagem para ela, não postei em rede social, não a difamei, não a caluniei. Eu mandei para ela, realmente, um áudio ridículo, porque não é o meu perfil", completou.

Ele disse ainda que pretende processar a diarista por ter divulgado um áudio que foi enviado em uma conversa privada.

A diarista diz que Valeriano a ajudou a conseguir pessoas que doassem tijolos para ela, mas que nada justifica a atitude que ele teve. Maria José conta que tem gastrite e as mensagens a deixaram tão chateadas que ela chegou a passar mal.

"A gente não perde por ser humilde. Ele não tem humildade. Ele veio com palavras de baixo calão, me ofendendo, me chamando de vagabunda. Eu sou trabalhadora, tenho como provar que sou honesta, nunca peguei nada de ninguém", disse a diarista.

A Polícia Civil informou que o boletim de ocorrência foi registrado e que aguarda a representação criminal por parte da diarista para investigar o caso. Maria José disse que uma advogada está responsável por essa parte do processo.



Fonte: G1 GO

             
    PUBLICIDADE