Terça, 26 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
ECONOMIA | CUIABÁ MT
28/10/2020 - 16:44
Indústrias enfrentam escassez de papelão, alumínio e vidro durante a pandemia em MT
A demanda está aquecida em uma indústria de cerveja em Cuiabá, mas está faltando algo básico para a venda do produto, caixas de papelão.
O Âncora MT
Indústrias enfrentam escassez de papelão, alumínio e vidro em Mato Grosso. / Foto: Reprodução TVCA

Na pandemia, muitas indústrias nacionais que fornecem matérias primas como papelão, alumínio e vidro tiveram que parar e o reflexo disso está sendo sentido agora. Em Mato Grosso, indústrias enfrentam a escassez desses produtos, tentam renegociar prazos com clientes e estudam alternativas como por exemplo, a reciclagem.

A demanda está aquecida em uma indústria de cerveja em Cuiabá-MT, mas está faltando algo básico para a venda do produto, caixas de papelão.

A matéria prima para fazer os rótulos das garrafas também está em falta. A quantidade de vidro no mercado preocupa. O que tem na cervejaria é suficiente apenas até dezembro. O empresário Paulo Fortunato conta que mesmo com a falta de insumos, a demanda está alta.

“A parte de finalização da cerveja foi muito comprometida, isso devido as indústrias também terem parado durante a pandemia. Então quem fabrica o papelão parou 100%, mas as vendas continuaram então agora chegou no final do ano com o mercado explodindo de novo de venda e o insumo, matéria prima, com falta no mercado”, afirma.

Em uma empresa especializada na fabricação de embalagem está faltando a principal matéria prima, que é o papelão. A redução nos últimos meses foi de até 80%.

O empresário Luciano Lima Tomás de Aquino, estava acostumando a ver todo o estoque cheio de papelão, mas o fornecimento do insumo não acompanhou o ritmo da retomada econômica. Antes o papelão que vinha de São Paulo-SP, demorava uma semana pra chegar. Hoje são dois meses de espera.

“Todos já estão fazendo pedidos para dezembro, pra janeiro porque está com medo de que não receba mercadoria nos próximos dois meses então já estão pedindo e mesmo assim se atrasar eles estão cientes. Então é isso que a gente está transmitindo para o cliente e é o que a gente pode fazer”, afirma.

Para o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) Gustavo Oliveira, essa dificuldade das empresas se deve também pela alta do dólar que deixou alguns produtos mais caros. Com a chegada das festas de fim de ano, uma solução nesse momento seria apostar em alternativas como por exemplo, a reciclagem.

“À médio e longo prazo, essas cadeias específicas, papelão, alumínio e vidro, eles podem ser alimentados por insumos novos ou produtos de reciclagem. Tomam alguma estratégia, primeiro de apoio a chamada economia circular, mas também como uma estratégia ambiental para que nós possamos, com a logística reversa pressionar menos o meio ambiente com descarte desses produtos”, afirma.


Fonte: G1 MT

             
    PUBLICIDADE