Segunda, 02 Agosto de 2021
PUBLICIDADE
COVID-19 | GOIÁS
18/03/2021 - 20:00
Morte do ex-governador Helenês Cândido leva o estado e a Prefeitura de Morrinhos (MT) a decretarem luto oficial de três dias
Político morreu de Covid-19, a caminho de hospital, depois de esperar três dias por vaga de UTI com suporte para hemodiálise. Nas redes sociais, Caiado lamentou a morte do colega: "Será lembrado por seu importante legado".
O Âncora GO
Ex-governador de Goiás Helenês Cândido morre de Covid-19 aos 86 anos. / Foto: Reprodução Divulgação/Alego.

A morte do ex-governador Helenês Cândido levou o estado de Goiás e a Prefeitura de Morrinhos (GO), cidade onde nasceu, a decretarem, nesta quinta-feira (18), luto oficial por três dias em suas respectivas administrações. Aos 86 anos, o político morreu vítima da Covid-19 após três dias de espera por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com suporte para hemodiálise.

O governador Ronaldo Caiado (DEM) publicou nas redes sociais uma mensagem de pesar pela morte do colega, na noite de quarta-feira (17). Oferecendo os seus sentimentos à família e aos amigos de Helenês, o governador finalizou o texto decretando luto oficial de três dias no estado.

"Um homem digno, que alcançou o reconhecimento do povo goiano e que será sempre lembrado por seu importante legado", escreveu Caiado.

A Prefeitura de Morrinhos também decretou luto oficial de três dias. Segundo a administração, em virtude da morte de Helenês, as bandeiras das repartições e órgãos públicos do município ficarão hasteadas a meio mastro durante o período.

O prefeito em exercício e primo do ex-governador, Joaquim Guilherme (PSDB), expressou seus pêsames e afirmou que Helenês é um patrimônio político não só de Morrinhos, mas de todo o território goiano.

"O elevado sentimento de ajuda pelo próximo, suas causas sociais movidas pela fé e o amor que sentia pela cidade dos pomares completavam o perfil desse homem público, cidadão nato e honrado deputado, professor e advogado, que representa hoje um nome marcante na história de Morrinhos", escreveu.

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), onde o político foi presidente em 1997, também decretou luto oficial por três dias.

Nas redes sociais, o presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela, lamentou a morte do ex-governador. Há dois meses, ele também perdeu o pai, Maguito Vilela, para a Covid-19.

"Recebi com profundo pesar a notícia da morte do ex-governador Helenês Cândido, mais um líder histórico do MDB levado pela Covid-19. Essa foto, de 2018, foi feita em Morrinhos, na casa dele, quando tivemos uma ótima conversa sobre a política goiana. Meus sentimentos a todos os familiares e à população de Morrinhos, que perde uma de suas referências históricas. Descanse em paz", escreveu.

MORTE

O ex-governador morreu quando estava sendo transferido de ambulância do hospital em que estava internado, em Santa Helena de Goiás, para um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Caldas Novas, a 265 km de distância. Segundo a família, ele aguardava há três dias pelo leito com suporte para hemodiálise.

O corpo de Helenês foi enterrado às 10h desta quinta-feira, no Cemitério São Miguel, em Morrinhos, cidade onde nasceu. Ele deixa a esposa e dois filhos.

TRAJETÓRIA

Helenês nasceu em Morrinhos, em 5 de janeiro de 1935. Era advogado, formado pela Faculdade de Direito de Uberlândia.

Ele foi prefeito de Morrinhos de 1973 a 1997, deputado estadual por três mandatos - 1979 a 1983, 1991 a 1995 e 1995 a 1998 - e governador de Goiás de 1998 a 1999.

Em 2000 e 2001, Helenês foi presidente estadual do MDB, partido que integrou até o final de sua vida pública.



Fonte: G1 GO

             
    PUBLICIDADE