Sexta, 22 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
COVID-19 | GOIÁS
08/12/2020 - 17:21
Goiás espera começar vacinação contra coronavírus no fim de fevereiro, diz secretário de Saúde
Governador Ronaldo Caiado (DEM) prevê 1,8 milhão de doses para imunizar pessoas do grupo de risco. Ele disse que espera poder vacinar goianos antes da segunda onda da doença no estado.
O Âncora MT
Vacina contra a Covid-19. / Foto: Reprodução Rede Globo

O secretário de Saúde do Estado de Goiás, Ismael Alexandrino, espera já poder começar a vacinar os goianos contra a Covid-19 a partir do final de fevereiro de 2021. A expectativa foi externada por ele em entrevista exclusiva à TV Anhanguera, nesta terça-feira (8/12).

O chefe da SES-GO estava acompanhando uma reunião do Ministério da Saúde com governadores sobre a produção, autorização e aplicação das vacinas no Brasil. No evento, o ministro Eduardo Pazzuello afirmou que este é o prazo inicial para a aprovação das doses pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"Nossa expectativa é de começar a vacinação ao final de fevereiro, mas o grande montante deve acontecer de forma maciça no segundo semestre", explicou.

Ismael também espera poder imunizar até metade dos goianos contra a Covid-19 em 2021. Ainda de acordo com o secretário, o Ministério da Saúde (MS) está prevendo aquisição da vacina produzida em Oxford e a de um consórcio de 11 laboratórios, que é da Pfizer. Não há previsão de que essa última seja usada em Goiás, porque ela exige armazenamento a -70°C e o estado ainda não tem equipamento disponível para garantir essa temperatura nos recipientes.

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) disse em coletiva após a reunião com ministro e outros governadores que espera que seja possível vacinar os goianos antes que novo pico de casos da Covid-19 aconteça no estado.

"Ninguém mais que eu deseja ser vacinado. Acredito na vacina e espero que ela chegue o mais rápido possível, antes da segunda onda no estado de Goiás", disse Caiado.

No boletim de segunda-feira (7) da SES-GO, haviam sido registrados mais de 286 mil casos da Covid-19, sendo que mais de 6,4 mil deles levaram à morte.

Caiado afirmou ainda que, assim que for possível vacinar os goianos, seja priorizadas as pessoas do grupo de risco, servidores da Saúde e da Segurança Pública. Ele estima que o estado deve precisar de cerca de 1,8 milhão de doses, inicialmente, para atender esses grupos.

"O controle deve ser feito pelo governo federal, que adquire e distribui igualitariamente de acordo com o número de pessoas do grupo de risco em cada estado. [...] Cabe a nós ter todo aparato de seringas, enfermeiros, técnicos em enfermagem, locais de distribuição e ambiente apropriado para aplicá-la", explicou o governador.

Ismael também falou sobre essa preparação do estado para receber as vacinas. De acordo com ele, Goiás já comprou mais de dois milhões de seringas e agulhas para garantir a aplicação das doses.

"Fomos o primeiro estado que fez essa aquisição. Como havia uma incerteza e seringa e agulha não dependem de registro, compramos para que, se houver algum imprevisto, não sejamos prejudicados", afirmou.

No dia 1º de dezembro, o MS divulgou os principais pontos da estratégia preliminar de vacinação:

Primeira fase: trabalhadores da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena.

Segunda fase: pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase: pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da Covid-19 (como pacientes com doenças renais crônicas e cardiovasculares).

Quarta fase: professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.


Fonte: G1 MT

             
    PUBLICIDADE