Domingo, 29 Maio de 2022
PUBLICIDADE
COTIDIANO | VÁRZEA GRANDE - MT
09/05/2022 - 16:44
Várzea Grande (MT) reajusta tarifa de água e esgoto em quase 18%
A mudança na cobrança dos serviços se deve à alta da inflação e aos mais de três anos sem alteração no valor tarifário.
O ÂNCORA MT
Moradores de Várzea Grande (MT) ficam sem água. Foto: Reprodução

O Conselho Municipal de Saneamento Básico (CMSB), de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, aprovou o reajuste na tarifa de água e esgoto em quase 18%. A medida foi publicada no Diário Oficial do estado nesta segunda-feira (9).

Segundo a prefeitura, essa mudança na cobrança do valor vem após mais de três anos sem reajuste devido à pandemia de Covid-19 e a contração de dívidas financeiras que estrangularam o investimento no setor.

De acordo com o Departamento de Água e Esgoto (DAE) do município, há aproximadamente 80 mil residências com cadastro regular e outros 37 mil imóveis estão em situação irregular, o que dificulta a fiscalização do consumo de forma justa.

Atualmente, tem cinco Estações de Tratamento de Água (ETAs) em funcionamento, sendo que duas eram privadas e agora o DAE assumiu a administração. Outras duas ETAs devem ser construídas pela atual gestão.

O DAE informou que não está buscando majorar a tarifa com ganho econômico, mas busca uma atualização monetária das perdas acumuladas ao longo dos últimos anos.

Desde 2019, o DAE não faz reajuste nas tarifas, o que tem comprometido substancialmente os serviços e parte dos problemas da cidade decorrem da dificuldade financeira para robustecer os investimentos na área.


Falta de água: um problema crônico

No ano passado, mais de 100 moradores do Bairro Residencial Jacarandá de Várzea Grande interditaram a Avenida Bandeirantes, que fica na entrada do bairro, em um protesto contra a falta de água na região. Neste ano, mais de 50 bairros tiveram problemas no abastecimento de água após uma das bombas de captação de recursos queimar.


Índice de saneamento básico entre os piores em 8 anos

Segundo um estudo do Instituto Trata Brasil, Várzea Grande está em 8º lugar no ranking das cidades com os piores indicadores de saneamento básico no país. Os dados apontam que o município está há oito anos entre as 20 piores cidades em relação aos indicadores neste setor.

Parte desta colocação também se deve às informações desatualizadas no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

Segundo o Trata Brasil, o documento considera os dados mais recentes do SNIS, referentes ao ano de 2020. De acordo com os dados, apenas 29,8% da população de Várzea Grande tem coleta de esgoto.


Fonte: G1 MT

             
    PUBLICIDADE