Sábado, 16 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
COTIDIANO | AJUDA IDOSO
09/10/2020 - 19:38
Idoso sofre acidente de moto, queima os pés e precisa de ajuda para pagar tratamento, em Goiânia-GO
Homem de 68 anos, que estava na garupa do veículo, não movimenta uma das pernas e teve queimaduras de terceiro grau ao colocar os pés no asfalto para se apoiar. Ele e a mulher vivem com pouco mais de R$ 1mil.
O Âncora GO
Idoso tem queimaduras de segundo e terceiro grau após sofrer acidente de moto, em Aparecida de Goiânia-GO. / Foto: Reprodução Arquivo Pessoal

Após sofrer queimaduras nos dois pés motivadas por um acidente de trânsito, Luiz Ferreira da Costa, de 68 anos, luta para conseguir ajuda para arcar com o tratamento, em Goiânia-GO. Filha do idoso, a vendedora Karla Barros Ferreira Martins, de 42 anos, afirma que o pai é deficiente físico e se desequilibrou quando o piloto perdeu o controle da moto.

“Ele estava de carona em uma moto, e o condutor perdeu a direção. Com isso, ele se assustou e colocou os pés no chão. Perdeu os sapatos e sofreu queimaduras de segundo e terceiro graus nas solas dos dois pés”, afirma Karla.

O acidente aconteceu na manhã da última quarta-feira (7), no setor Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Segundo Karla, o condutor do veículo perdeu a direção ao derrapar em um cascalho que estava no meio da rua.

De acordo com a vendedora, ao ser levado para uma unidade de saúde, os médicos responsáveis pelo caso do idoso disseram que ele precisava passar por uma cirurgia devido à gravidade dos ferimentos. Caso contrário, o paciente poderia ter os pés amputados.

O idoso está internado, nesta sexta-feira (8), no Hospital de Queimaduras, onde foi operado. A filha dele afirmou que o quadro do pai é estável. Procurada pelo G1, a unidade de saúde informou que só tem autorização para divulgar o estado de saúde dos pacientes para os familiares.


DESESPERO POR AJUDA

Apesar de ter conseguido a vaga para realizar o procedimento pelo Sistema Unitário de Saúde (SUS), a preocupação da família são os gastos com exames e medicamentos que devem ser assumidos de forma particular. A filha conta que, até mesmo para o exame de risco cirúrgico, precisou da ajuda de parentes para pagar pelo procedimento, que custou R$ 150.

Conforme Karla, o pai recebe uma aposentadoria por invalidez no valor de R$ 1.130, devido ter perdido o movimento de uma das pernas em um outro acidente que sofreu. “Há 8 anos, ele sofreu um acidente de moto, quebrou o joelho e perdeu a rótula. Colocaram uma placa no joelho dele, a perna ficou dura, ele perdeu a mobilidade, então, não dobra. Para voltar a dobrar o joelho, precisava de uma outra cirurgia”, explica.

A filha do casal conta Luiz mora com a esposa, Marli Maria de Barros da Costa, de 65 anos, que é autônoma e tem como única fonte de renda o trabalho de costura. De acordo com Karla, a mãe não conseguiu se aposentar devido não ter conseguido contribuir o tempo necessário com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Assim, o casal conta com pouco mais de R$ 1 mil para pagar os R$ 700 do financiamento da casa, comprar comida e pagar as contas de energia e água, além dos gastos com medicamentos devido aos problemas de saúde que já possuíam.


Fonte: G1 GO


             
    PUBLICIDADE