Domingo, 17 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
BRASIL | CANARANA - MT
28/04/2021 - 20:23
Sindicado Rural tomará medidas cabíveis para remoção do Promotor de Justiça da Comarca de Canarana (MT)
Em nota, instituição afirma que "tal postura não está de acordo com o que os cidadãos de Canarana (MT) esperam de um Promotor de Justiça".
Por Jozean Benício, O Âncora MT
Promotor de Justiça, Matheus Pavão e Outdoor com imagem de Jair Bolsonaro. / Foto: Reprodução

O Sindicato Rural de Canarana (MT) publicou uma nota de repúdio em desfavor do conteúdo informado pelo Promotor de Justiça, Matheus Pavão, na imprensa local, nesta terça-feira (27/04).

Nó término da nota, o Sindicato informou que "irá tomar as medidas cabíveis junto à Corregedoria do Ministério Público para que o Dr. Pavão seja removido desta Comarca, uma vez que, segundo a nota, a postura apresentada não está de acordo com o que os cidadãos de Canarana (MT) esperam de um Promotor de Justiça.

A publicação ainda mostra que o Promotor teria alegado que houve um ato de apoio ao “candidato” Jair Bolsonaro, informação discordada pelo Sindicato, que questionou, afirmando o motivo de não estar em período eleitoral, além da peça publicitária não mencionar pedido de voto e não apresentar siglas partidárias.

Simpatizantes afirmaram à equipe O Âncora que o apoio está sendo dado ao Presidente da República que, segundo eles, "vem sofrendo com forças contrárias que insistem em ameaçar a ordem".

Em um áudio enviado com exclusividade ao nosso departamento jornalístico, nesta terça-feira (27/04), o Promotor Matheus Pavão explicou que, no dia da instalação do outdoor, informou a "ilegalidade" ao sindicato e como a instituição se recusou a acolher a recomendação, um procedimento seria instaurado na promotoria.

A peça publicitária exibe, além da foto do presidente, as seguintes siglas: 

"Canarana, capital nacional do gergelim. Por Deus, por nossas famílias, por quem produz."

Alex Wisch, Presidente do Sindicato Rural, afirmou que o outdoor só será retirado com Ordem Judicial, e que irá defender sua permanência na justiça.

VEJA A NOTA:

nota_repudio_sindicato.pdf 

             
    PUBLICIDADE