Domingo, 17 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
BRASIL | ESCÂNDALO BALIZA-GO
03/11/2020 - 16:43
Possível organização criminosa que fraudou transferências e alistamentos de eleitores será investigada pela Polícia Civil e MP
Prints de conversas de um aplicativo de mensagens mostram que o título de um possível beneficiário passava por um processo administrativo de fraude.
Por Jozean Benício, O Âncora GO
Candidato a prefeito de Baliza-GO. / Foto: Reprodução

O Ministério Público Eleitoral e a Polícia Civil em Baliza, município do interior de Goiás, deverá investigar o candidato à Prefeito Marcos da Verdura do Partido Progressista, por suspeita de ser mentor de um possível esquema criminoso com o fato de transferir ilicitamente para Baliza-GO eleitores que não possuem domicílio eleitoral no município, é o que mostra o processo de número 0600079-63.2020.6.09.0035  da 035ª Zona Eleitoral de Aragarças-GO. 

Há possíveis indícios de pessoas que supostamente teriam realizado transferências de titular dos comprovantes de endereço de forma online, com a pretensão de se comprovar o vínculo com o município.

Segundo a petição, o candidato pelo Partido Progressista associou-se com seus apaniguados para engendrar um esquema criminoso de transferências e alistamentos de eleitores com objetivo de angariar votos de pessoas que não preenchem os requisitos para domicílio eleitoral na cidade de Baliza-GO.

O escândalo começou após os mentores da suposta fraude não cumprirem com promessas, momento em que os supostos beneficiários não aceitaram a submissão criminosa, e acabaram publicando no município, os alistamentos ilegais de títulos. 

O caso repercutiu tanto que ainda há indícios que após diligência da Justiça Eleitoral para averiguar a ilegalidade dos alistamentos

praticados, alguns mentores tentaram corromper e pressionar um dos beneficiários à assumir a fraude junto a Justiça Eleitoral.

Os "beneficiários" estavam temporariamente residindo na casa de um possível mentor do crime, e por não aceitarem assumir a fraude acabaram sendo expulsos da residência de um dos mentores. 

A denúncia foi feita ao Ministério Público eleitoral, para, caso estivesse instruído suficientemente, apresentasse a denúncia. 

O Ministério Público Eleitoral manifestou-se e requereu  a remessa dos autos à Delegacia de Polícia Civil de Aragarças, município do oeste goiano, requisitando-se a instauração de Inquérito Policial para apuração da possível prática de crimes previstos nos arts. 289, 348, 350, 353 e 354, todos do Código Eleitoral.

Caso Marcos da Verdura não seja eleito, e comprovado o crime na investigação, responderá pelos crimes citados na petição, do contrário, sendo eleito, seu mandato também poderá ser cassado, além de não ser diplomado.

Veja os arquivos a seguir:

Decisão 

Representação Criminal 

CASO

Prints de conversas por um aplicativo de mensagens com o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, e compartilhados nas redes sociais, mostram que o título de uma pessoa que possivelmente estaria envolvida passava por um processo administrativo de fraude. Um comprovante de endereço foi apresentado na conversa, veja como foi o diálogo:

Pessoa

"Fiz transferência de título

Mas acho q meu endereço cadastro ficou errado

Tem como verificar?"

TRE:

"Tem sim

Qual o número do seu título?"

A resposta do TRE foi rápida e precisa.

"O seu título está envolvido em processo administrativo de fraude de documentação. Foi deferido provisoriamente e ficou o endereço enviado no requerimento" 


             
    PUBLICIDADE