Domingo, 17 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
BRASIL | TORIXORÉU - MT
02/07/2021 - 17:12
Mulher e filho do presidente da Câmara de Torixoréu (MT) recebem mais de R$ 10.000,00 em Auxílio Emergencial
Prejuízos podem chegar a R$ 1 bilhão, aponta TCU, após casos de pessoas que receberam o auxílio emergencial de forma irregular.
Por Jozean Benício, O ÂNCORA MT
Torixoréu MT . / Foto: Reprodução

Em Torixoréu, interior do estado de Mato Grosso, o assunto da Secretária de Comunicação, Loreni Matos da Silva, mulher do presidente da Câmara Municipal, José Wilton (PSB), acabou repercutindo bastante. É que ela se beneficiou do Auxílio do Governo Federal.

O assunto foi notado pelo motivo de Loreni Matos ter seu nome constado na lista de beneficiários do Auxílio Emergencial e ter recebido cinco parcelas de R$ 1.200,00 e duas de 600,00,  totalizando R$ 7.200,00. O assunto repercutiu mal pela cidade, principalmente pelo fato do salário do seu companheiro vereador e presidente da Câmara ser acima de R$ 5 mil. Hoje, a mulher de José Wilton assume o cargo de Secretária de Comunicação do município, ela ganhou o cargo no dia 01 de março de 2021, pelo prefeito interino Thiago Timo.

Além dela, o filho de 19 anos, que terá a identidade preservada, também recebeu o benefício federal, durante cinco meses de 2020 recebeu R$ 600,00. Somados, o valor recebido pela família chega a R$ 10.200,00. 

O Cadastro Único para Programas Sociais ou CadÚnico é um instrumento de coleta de dados e informações que objetiva identificar todas as famílias de baixa renda existentes no país para fins de inclusão em programas de assistência social e redistribuição de renda. 

De acordo com o protocolo do Auxílio Emergencial, Loreni Matos da Silva Carvalho, esposa de José Wilton, não tinha direito a receber o benefício, já que sua renda total familiar é acima de 5 mil reais.

Pessoas inscritas no Cadastro Único, não precisam fazer requerimento, já são identificadas e possuem o auxílio concedido automaticamente, desde que atendam às regras do Auxílio Emergencial. A suspeita, é que Loreni Matos da Silva Carvalho, não sendo cadastrada no CadÚnico, encontrou a única forma de acesso ao benefício, que foi alterar a situação social durante o cadastro no site ou aplicativo.

O requerimento do Auxílio Emergencial, para quem não está inscrito no Cadastro Único é feito pelo site: https://auxilio.caixa.gov.br/ ou pelo aplicativo CAIXA - Auxílio Emergencial para celular.

No caso da esposa do presidente da Câmara, há suspeita de que ela tenha sido beneficiada como ExtraCADUN, ou seja, não tinha inscrição no Cadastro Único, mas fez sua solicitação por intermédio do site ou aplicativo. Conforme é apresentado na imagem do Portal da Transparência do Governo Federal no início da reportagem. 

Mesmo com o alto prejuízo para o Governo Federal, para receber um valor maior, há suspeita que Loreni Matos realizou o cadastro se colocando como mulher solteira, sem cônjuge ou companheiro, e que ela seria responsável pela família com pelo menos uma pessoa menor de 18 anos. O que gerou constrangimento, já que ela mora com José Wilton há vários anos, com dois filhos. 

Assim, consta no arquivo, que Loreni Matos se declarou como pessoa vulnerável e com baixa renda, e como mãe solteira responsável pelas despesas de casa.

Todas as informações estão disponíveis no Portal da Transparência do Governo Federal. 

A reportagem do site O Âncora entrou em contato com Loreni Matos e o companheiro, o candidato a vice-prefeito, José Wilton, mesmo visualizando o questionamento feito em um aplicativo de mensagens, até o final desta reportagem não tivemos resposta. 

Eles chegaram a bloquear o número do nosso departamento jornalístico. 

Um relatório feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que o auxílio emergencial criado para ajudar pessoas de baixa renda durante a pandemia da covid-19 foi pago para 620 mil pessoas que não tinham direito ao benefício. Muitas das pessoa aproveitaram para ganhar dinheiro do governo de forma irregular.


Por Jozean Benício, O Âncora MT

             
    PUBLICIDADE