Segunda, 21 Junho de 2021
PUBLICIDADE
BRASIL | SEPULTAMENTO BISPO
12/08/2020 - 23:11
Corpo de Dom Pedro Casaldáliga é enterrado em cemitério indígena
Ritual ocorreu no Cemitério Karajá, área onde eram sepultados indígenas e trabalhadores sem terra explorados.
Por Jozean Benício, O Âncora MT
Corpo foi sepultado em cemitério que o bispo pediu para ser enterrado. / Foto: Reprodução

Dom Pedro Casaldáliga morreu no último sábado (08/08) aos 92 anos, em Batatais, interior do estado de São Paulo, o corpo foi sepultado em São Félix do Araguaia, em Mato Grosso, nesta quarta-feira (12/08). O bispo foi velado em quatro cidades, Batatais-SP, Aragarças-GO, Ribeirão Cascalheira-MT e São Félix do Araguaia.

Durante o velório, que começou às 18h desta terça-feira (11), indígenas karajá realizaram uma homenagem ao bispo, seguida pelo sepultamento. Segundo Telma Araújo, amiga do bispo, esse foi um dos momentos mais emocionantes da cerimônia.

O corpo foi sepultado no cemitério Karajá, à beira do Rio Araguaia, local onde foram enterrados várias personalidades que eram agradáveis ao bispo. Antes do enterro uma missa foi celebrada com a presença de amigos e indígenas, toda a celebração foi transmitida pelas redes sociais.

Ainda no salão onde a missa era presidida, um líder fez seu pronunciamento usando a linguagem indígena.

MORTE

Casaldáliga morreu no último sábado (08/08), em Batatais, interior de São Paulo, onde estava internado desde o dia 04 de agosto para cuidar de um derrame pulmonar. O religioso convivia com o mal de Parkinson, que contribuiu para o agravamento de seu estado de saúde. Com a saúde fragilizada, o religioso respirava por aparelhos e recebia alimentação por uma sonda.

Sua morte gerou profunda comoção e manifestação de diversas personalidades, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se manifestou nas redes sociais. “Nossa terra, nosso povo perde hoje um grande defensor e exemplo de vida generosa na luta por um mundo melhor, que nos fará muita falta.

Coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile também lastimou a morte do religioso. “Me sinto privilegiado por ter sido amigo do grande Dom Pedro Casaldáliga, um profeta e um personagem da história do Brasil que viveu coerentemente com as suas ideias e vivenciou o evangelho de sua forma. Dom Pedro esteve sempre comprometido com os trabalhadores, o povo, os indígenas, os sem terra, os quilombolas e quis viver como eles. Acima de tudo, nos ajudou a pensar a América Latina."

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
         
PUBLICIDADE