Terça, 26 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
BRASIL | VACINA COVID-19
22/07/2020 - 13:14
Cinco vacinas contra a Covid-19 estão em fase avançada
166 vacinas estão em desenvolvimento para o tratamento da doença causada pelo novo Coronavírus.
Jozean Benício de Almeida
Duas das cinco vacinas que estão em última fase são testadas no Brasil. / foto: Reprodução

Diversos países e empresas buscaram se mobilizar a procura de um tratamento eficaz contra a Covid-19 e uma vacina que a previna. Os trabalhos começaram desde o início da pandemia do novo Coronavírus. Até a última terça-feira (22/07), 24 vacinas contra a Covid-19 foram registradas em fase clínica, da etapa de testes em humanos. Segundo o balanço mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), 166 vacinas estão em desenvolvimento para o tratamento da doença causada pelo novo Coronavírus. 

De todas as vacinas, cinco já estão em sua terceira etapa, e só podem ser liberadas para comercialização após testes em um número maior de pessoas, só assim a eficácia poderá ser comprovada. Veja quais são as vacinas que estão na última fase:

Sinovac (China)

Instituto Biológico de Wuhan/Sinopharm (China)

Instituto Biológico de Pequim/Sinopharm (China)

Oxford/AstraZeneca (Reino Unido)

Moderna/NIAID (EUA) – ainda não começou a recrutar voluntários

FASES PARA DESENVOLVIMENTO DE UMA VACINA

Fase I: é o primeiro estudo a ser realizado em seres humanos e tem por objetivo principal demonstrar a segurança da vacina.

Fase II: tem por objetivo estabelecer a sua imunogenicidade.

Fase III: é a última fase de estudo antes da obtenção do registro sanitário e tem por objetivo demonstrar a sua eficácia. Somente após a finalização do estudo de fase III e obtenção do registro sanitário é que a nova vacina poderá ser disponibilizada para a população.

O processo de pesquisa e desenvolvimento de uma nova vacina é constituído de diversas etapas tratando-se, portanto, de um processo demorado, de alto investimento e associado a riscos elevados, particularmente quando se tratam das doenças negligenciadas.

A primeira etapa: corresponde à pesquisa básica e é onde novas propostas de vacinas são identificadas. Segunda etapa: realização dos testes pré-clínicos (in vitro e/ou in vivo) que têm por objetivo demonstrar a segurança e o potencial imunogênico da vacina. Terceira etapa: ensaios clínicos, que é a mais longa e a mais cara do processo. 

             
    PUBLICIDADE