Terça, 26 Outubro de 2021
PUBLICIDADE
BRASIL | FAKE NEWS
08/08/2020 - 15:45
Advogado é vítima de fake news em Barra do Garças-MT
Domingos Sávio procurou as Delegacias da Polícia Federal e Polícia Civil para registrar o Boletim.
Por Assessoria de Comunicação, O Âncora MT
Advogado procurou as delegacias logo depois de ter conhecimento das fake news. / Foto: Reprodução

Um vídeo pornográfico, de um casal fazendo sexo, publicado por um sargento da Polícia Militar num grupo de WhatsApp chamado "Aqui rola de tudo", em Barra do Garças (509 km de Cuiabá), foi editado, retirado do contexto e atribuído ao advogado Domingos Sávio de Souza, morador do município e pré-candidato a prefeito pelo PRTB. Ele registrou dois boletins de ocorrência, um na Polícia Civil e outro na Polícia Federal (PF), exigindo providências, pois diz ter "convicção" que se trata de uma armação de adversários políticos incomodados com o crescimento de seu nome no cenário político local.

Por conta própria, o advogado cruzou informações numa "investigação" preliminar e descobriu que o vídeo original foi publicado por um sargento, que tem o mesmo nome que ele. No entanto, alguém que, segundo ele, estaria a serviço de adversários políticos nas eleições municipais, printou a tela do com a imagem inicial do vídeo e o nome do autor da postagem. Depois, foi ao Facebook do advogado e pegou fotos dele com a esposa, feitas em seu casamento, e incluiu num vídeo-montagem "tosco". 

A pessoa ainda pegou na internet uma foto de um casal fazendo sexo, no qual mostra apenas as partes íntimas e anexou ao vídeo para dizer que seriam o advogado Domingos Sávio e sua esposa mantendo relações sexuais. Mais do que isso, usou o print com a postagem do sargento da PM no grupo chamado "Aqui rola de tudo", para insinuar que a publicação teria sido feita pelo advogado. 

Ao FOLHAMAX, Domingos Sávio de Souza afirmou que o grupo de WhatsApp é administrado por um jornalista. Explicou ainda que pegou o número original da postagem relativa ao vídeo de sexo, ligou e do outro lado o sargento confirmou que ele fez a postagem, mas não tentou se passar pelo advogado. Relatou que tem o mesmo nome e que ambos são conhecidos. 

"Assustei quando vi o meu nome no vídeo que é composto basicamente por três imagens, todas congeladas. Lá aparece um número de telefone, por isso peguei e liguei. Imaginei que fosse um número fake com meu nome, mas quando estava na delegacia eu liguei e para minha sorte ele se identificou como sendo meu xará. É meu conhecido. Foi na delegacia e confirmou que postou o vídeo das imagens pornográficas que não têm relação comigo. Ele deixou claro que não quis me prejudicar. Mas alguém do grupo printou a tela onde consta Domingos Sávio com o vídeo pornô e associou o meu nome porque sou pré-candidato a prefeito", relata o advogado. 

Conforme o jurista, na montagem a única imagem dele e da esposa foi retirada de sua rede social enquanto a cena de sexo foi buscada na internet. "Foram no meu Facebook pegaram fotos com minha esposa e comigo na tribuna da Câmara. Disseram que eu estava postando fotos de sexo com minha esposa. Mas não tem foto minha pornográfica no vídeo, somente fotos de internet, de pessoas fazendo sexo", afirma.

ARMAÇÃO POLÍTICA

Apesar disso, ele ainda aponta um lado "bom, ou menos pior", da situação ao ressaltar que pelo menos disseram que ele fazia sexo com a esposa  e não com outra pessoa. O advogado também explicou o motivo de ter registrado o caso na Polícia Federal. Disse ter certeza que o vídeo o difamando tem cunho eleitoral e político, prática que é de competência da Polícia Federal investigar. E também porque foi na Polícia Civil e registrou o caso, mas não tinha nenhum delegado, pois todos estavam em Cuiabá participando de curso. Por ter pressa em resolver a situação, ele buscou a PF.

Com base na "investigação" preliminar, ele conseguiu identificar um homem e uma mulher responsáveis pela publicação do vídeo editado para denegrir seu nome. "Isso é motivo político, tenho certeza. Conseguimos identificar um homem e uma mulher e peguei dois telefones que eles estão usando. Liguei e me identifiquei, mas ele desligou. Na segunda-feira, vou levar os números e o nome dele para a Polícia Federal". 

Agora, ele espera que a Polícia Federal descubra quem são os idealizadores, pois Domingos Sávio descobriu que o homem já identificado postou o vídeo difamatório em dois grupos de dois pré-candidatos a prefeito em Barra do Garças. Resta agora, segundo o jurista, saber para qual deles, o autor da publicação trabalha. 

"Tenho certeza que são adversários políticos. Tenho plena convicção porque nosso nome está crescendo e isso está incomodando os adversários. Sou um candidato novo, nunca fui político. Sou advogado, sou evangélico, entrei sem dinheiro na política e isso está incomodando eles. Como tentaram me pegar de qualquer jeito e não conseguiram porque meu passado é limpo, tiveram que fazer uma montagem dessa grotesca e covarde colocando minha esposa. Ela também é evangélica e advogada que trabalha comigo, estamos 24 horas juntos", informou.

             
    PUBLICIDADE